Entre em contato conosco

(16)99756-7494 | (16)3625-0465

História

Ricardo Aguiar nasceu na cidade de Ribeirão Preto a 300km da capital (São Paulo), onde vive com a família, treina e trabalha. Aos 10 anos iniciou sua carreira dentro do mundo esportivo com o atletismo, pois morava dentro do Campus da USP, em Ribeirão Preto, onde dispunha de um excelente centro de treinamentos. Aos primeiros passos no atletismo se encantou com aquele desafio de superar seus próprios limites, participando assim de algumas provas de velocidade. Só depois de alguns meses despertou o interesse pela luta, encontrando o karate.


Aconteceu um caso hilário, que se transformou no início de tudo. Aguiar gostava muito de filmes de lutas e no intervalo dos filmes tentava imitar golpes. Em um desses movimentos quebrou uma televisão que estava na sua frente. Depois desse dia seus pais resolveram matriculá-lo em uma escola de karate, do estilo shotokan. O professor era o Sensei Takashi Shimo, um grande nome do karate brasileiro.

Na época Ricardo também jogava futebol, mas não demorou muito para perceber que era o karate o esporte que o ele realmente queria. Já nos primeiros dias despertava atenção de todos e junto com seu irmão mais velho, que também é faixa preta, começou ali o que viria a ser uma trajetória de conquistas e realizações.

Seu professor, Takashi Shimo (in memorian), era na época um dos melhores competidores do Brasil e posteriormente viria ser técnico e o primeiro árbitro internacional do país. Com um grupo grande de faixas preta, Ricardo se espelhava nos mais diferentes estilos de luta. Além do treinamento rígido e forte, as competições foram sendo introduzidas naturalmente, e começaram ser parte de prioridades e objetivos de Ricardo. 
Após alguns anos o Ricardo Aguiar recebe um convite para iniciar carreira de futebolista no Botafogo Futebol Clube de Ribeirão Preto e posteriormente no São Paulo Futebol Clube. Ele era goleiro e tinha muito boa estatura para sua idade naquela época. Como em muitas coisas que se propunha a fazer, sua dedicação foi também incomparável. Alternava treinamentos de futebol e karate, além de ser ótimo estudante. Aproveitou ao máximo os dois esportes, porém com o sucesso no futebol e a disputa de várias competições de karate, Ricardo começava observar que mais tarde seria um pouco difícil conciliar os dois esportes de alto rendimento.

Aos 16 anos foi aprovado no seu primeiro exame de Faixa Preta realizado pela Federação Paulista de Karate e Confederação Brasileira de Karate, realizado na cidade de Santos, São Paulo.

Com o crescimento de responsabilidades entre escola, jogos e treinos, Ricardo foi naturalmente diminuindo seus espaços livres e aumentando a ausência de coisas comuns e naturais de jovens de sua idade. Sempre com os finais de semanas com compromissos se formava ali um ser humano responsável e preocupado. 
Teve grandes momentos e muitas vitórias no futebol. Após ficar um mês treinando em São Paulo foi aprovado em um teste no São Paulo Futebol Clube na categoria infantil com grande êxito, tendo na sua frente uma decisão dura, pois seus pais julgavam ser uma oportunidade muito incerta para um garoto da idade de Ricardo, não autorizando o filho a ficar na capital. Na sua cidade continuou jogando futebol até os juniores e profissionais, acompanhado sempre do karate. Após um tempo recebeu outro convite do Clube Atlético Mineiro, porém foi a o São Paulo novamente, mas o momento já era outro e o Ricardo percebeu isso com muita descrição, convertendo tudo em mais uma experiência incrível para sua vida como pessoa e atleta.

Já cursando a Faculdade de Educação Física, Ricardo restabelece seus treinamentos no karate e reinicia uma trajetória que se confirmaria depois com propostas de trabalho e com convites de equipes e cidades para competir.

Em 1993, Aguiar perde seu professor e grande mestre Takashi Shimo para uma doença incurável; ali perdia o gosto por tudo aquilo em um momento que nem ele poderia imaginar. Muita dor e sofrimento para um jovem que acreditava nos ideais e profissionalismo de seu mestre. Muitos professores se desligaram e outros continuaram; Ricardo ficou alguns meses sem treinar deixando que o tempo determinasse um novo caminho.

Com a vinda do Professor Paulo Mota para sua cidade, Aguiar começa a treinar outro estilo de karate, o shito-ryu. Logo recebeu um convite de última hora para lutar nos Jogos Abertos, uma competição tradicional no calendário brasileiro, e com só duas semanas de treino subiu ao pódio despertando o interesse dos responsáveis pela shito-ryu no Brasil e por diversas equipes.

Foram mais de 05 anos treinando um estilo de karate de muita qualidade e que muito acrescentou na sua filosofia e de seus alunos. Começou a ministrar aulas em academias de sua cidade e em 1995 fundou a Associação SOKE (Sistema Organizado de Karate e Esportes) buscando espaços com muito trabalho para dar continuidade em algo que, para ele, nunca deveria ter sido interrompido.
Como professor, praticando e ensinando shito-ryu, Ricardo formou alguns alunos faixas preta conquistando um espaço muito difícil para alguém tão jovem ocupar. Como atleta recomeçou a colecionar títulos estaduais, nacionais e principalmente internacionais como o Mundial do estilo em 1997 na Florida-USA, além de títulos Pan Americanos e Sul Americanos. 

Treinava com dedicação e dava aulas com a preocupação de que seus alunos compreendessem realmente aquilo que o verdadeiro karate pode proporcionar ao praticante. Enquanto seu grupo de alunos crescia e seu nível técnico se desenvolvia, Aguiar não mediu esforços para alcançar aquilo que um atleta sempre almeja, a Seleção Nacional. 

O momento chegou e com muita luta e fé Ricardo despontou entres os melhores lutadores do país. Com seu primeiro título Paulista em 1996 e Brasileiro em 1997 iniciava uma nova trajetória no karate competitivo e aumentava ainda mais seu compromisso com o karate marcial. Pensando nisso, ele viaja ao Japão, EUA, França, Itália, Alemanha, para cursos, treinamentos e competições com atletas e professores renomados e consagrados no cenário do karate mundial. Com a intenção de aprofundar seus conhecimentos, após 06 anos praticando o estilo shito-ryu, Aguiar sentiu o momento de retornar ao Shotokan, além de ser a sua raiz, se tratava do estilo de karate mais praticado no mundo. Para ele o karate surgiu de uma mesma fonte que se poluiu com desenvolvimento de escolas e diversos estilos.

Assim, o Ricardo não parou mais de colecionar títulos para o Brasil, para São Paulo e para sua cidade Ribeirão Preto, além de algumas cidades que o apoiaram e com quem o atleta manteve contratos. Hoje Aguiar também concilia as funções de Responsável Técnico da cidade de Ribeirão Preto, ajudando e orientando atletas mais jovens e também atletas com experiência em competições internacionais.

Ricardo conta hoje com aproximadamente 300 alunos, entre 05 e 70 anos, além de contribuir não somente na formação esportiva e cultural, mas principalmente na formação do caráter destes alunos. Entre aulas em grupos, aulas particulares, treinamentos, cursos, apresentações e exibições, Ricardo ainda cumpre com sua tarefa social, ministrando, apresentando e participando de projetos em algumas escolas e comunidades carentes.

Conhecido Nacional e Internacionalmente o amigo, aluno, professor, atleta e hoje empresário Ricardo Aguiar jamais perdeu a humildade no que se diz respeito as suas conquistas e metas. “...um homem deixa de existir quando seus sonhos e objetivos terminam...” (Ricardo Aguiar). Hoje Aguiar ministra cursos e seminários pelo Brasil e recebe convites para o exterior, mesmo assim ainda consegue tempo para treinar diariamente, fazendo do karate um estilo de vida.

A oportunidade que a vida deu ao Ricardo foi muito influente no sucesso de todos os segmentos que ele participa. De atleta a Diretor e Professor de sua própria escola e de renomadas Instituições de Ensino. Tudo isso aconteceu naturalmente na vida deste homem e pai de família, com a única certeza de que somente Deus sabe na íntegra de todas as dificuldades que enfrentou entre estudos, investimentos, treinamentos e abdicação de muitas coisas.

Hoje, Ricardo Aguiar virou uma marca de qualidade e excelencia. Técnico da Equipe de Karate da cidade de Ribeirão Preto, transformou uma equipe pequena e simples há 07 anos atrás em hoje uma das melhores equipes do país. Técnido da Seleção Paulista é referência em planejamento e organização além de sempre apresentar conteúdo atualizado e bem desenvlvido. Tetra Campeão Brasileiro e o Técnico que mais títulos conquistou nos últimos 05 anos, Aguiar hoje se transformou em referência nacional e Internacional. Quebrou um jejum de 12 anos do Brasil sem um título Sul Americano e Pan Americano. O Atual técnico da Seleção Brasileira é convidado para Seminários e Cursos no Brasil e exterior.

Aguiar não se arrependeu de absolutamente nada do que fez, somente lembra daquilo que não pode fazer. Um homem e um lutador que fez e faz de sua vida um exemplo de dedicação e determinação.