Entre em contato conosco

(16)99756-7494 | (16)3625-0465

Caratê de RP conquista três pódios e Brasil é vice no Pan sub-21


 

 

 

 

 

Foram dois bronzes e uma prata no Equador; desempenho do Brasil é o melhor dos últimos cinco anos

 

Três atletas da Equipe de Caratê de Ribeirão Preto (SME/Total Health/ Clínica Collucci/Instituto Ricardo Aguiar )subiram ao pódio do Campeonato Pan-Americano sub-21 nesse final de semana, no Equador. Com dois bronzes e uma prata, eles ajudaram a Seleção Brasileira a conquistar a segunda colocação geral, melhor resultado desde 2011, quando o país também foi vice, em casa.

 

Comandados em Ribeirão Preto e no time nacional pelo técnico Ricardo Aguiar, os medalhistas da equipe da cidade foram Stéphani Trevisan (sub-21 até 61 kg), Arthur Menezes (sub-21 até 75 kg) e Vitor Nonino (sub-14 até 45 kg). Giovanna Machado (sub-21 até 68 kg), Jéssica Luebke (júnior até 53 kg) e Júlia Kruger e Gabriela Elias no kata não medalharam.

 

“Nós conseguimos manter as três medalhas que conquistamos na edição passada. Destaco aqui o bronze do Vitor Nonino. Foi o primeiro Pan dele e já conquistou o pódio. Essa foi só a segunda vez que ele serviu à Seleção Brasileira e representou muito bem o país. É uma jovem promessa que vamos lapidar aos poucos e que, com certeza, será um grande talento do caratê brasileiro. Destaque para a Stéphani também, que conquistou a primeira medalha pan-americana da carreira na categoria sub-21”, afirma Aguiar.

 

Em relação à Seleção, o resultado também foi comemorado. No total, foram 32 medalhas, com nove ouros, nove pratas e 14 bronzes. Junto com a Venezuela, que terminou em terceiro, foram as duas seleções que mais subiram ao pódio. O Brasil só ficou com o vice-campeonato porque conquisto um ouro a menos do que os Estados Unidos, que levaram o título com 29 medalhas.

 

“Foi um desempenho muito bom do time brasileiro. Estamos contentes com esse resultado, que não era obtido desde 2011. Nessa atual gestão que estou, crescemos 900% em relação ao desempenho de 2013, quando entramos e tivemos apenas uma medalha de ouro. O trabalho de base é um pouco mais lento, pois os atletas mudam de categoria de peso e idade todo ano. Percebemos uma equipe mais coesa, com menos erros técnicos e táticos. O que significa que os professores de todo o país estão entendendo nossa proposta. Antigamente os resultados de base e adulto eram distantes e hoje não mais”, explica Aguiar.

 

A próxima competição da Equipe de Ribeirão Preto está marcada para o dia 10 de setembro. É a Copa São Paulo, que será realizada na capital paulista. Depois, alguns atletas, com a Seleção Brasileira, disputam a nona etapa da Premiere League nos dias 17 e 18 de setembro, em Fortaleza.